Pop Arte e Andy Warhol

2 nov

Chamava a atenção do mundo inteiro. Fazia crítica  ao consumismo e à sociedade de consumo, seu principal objetivo era aproximar a arte com a vida comum. E de quem estamos falando?  – Da Pop Arte

Movimento que surgiu como uma manifestação as feições convencionais de arte e que opunha-se claramente ao individualismo romântico, ao expressionismo abstrato e a pintura modernista em geral que desde então dominava o cenário artístico. Abraça as diversas manifestações da cultura de massa e utiliza grandes veículos de comunicação para traspôr ideias e preceitos. Por um lado ela manifesta traços de uma sociedade industrializada, pelas repetições e  pela criação de ícones repentinos.

Ganhou força nos anos 60 em Nova York, adotou rapidamento aos centro urbanos, onde os seus principais representantes tomasse de inspiração para criação de suas obras. Tinha como principais apoiadores Robert Rauschenberg, Roy Lichtenstein e Andy Warhol, no qual utilizavam recursos estéticos da puplicidade e do consumo como temas de suas obras,que na maioria das vezes derivava de fontes peexistentes e manufaturadas para o consumo de massa. Peças publicitárias, quadrinhos, latas, imagens de celebridades e logomarcas são algumas dessas inspirações.

Os mesmos fizeram com que elementos que em tese não eram reconhecido como arte metamorfoseassem-se. 

E isso nos lembra algo já citado no Blog, não é mesmo!? –  Duchamp. Em que trasformava o que parecia comum em arte,  nos remete ao Ready-Meade, lembra?! Pois a Pop arte tem essa base “duchampilista”.

A Pop Arte levava em conta que o consumo era marca registrada naquele tempo  e fazia crítica a essa modo capitalista,mas o mesmo tempo tinha um tom irônico em seus questionamentos. 

 No texto base de  David McCarthy “Arte Pop”, o mesmo caracteriza bem esse movimento e em uma de suas passagens diz que “[...] os anúncios retêm consequêntimente algo de sua identidade original – eles apregoam mercadorias – e agora funcionam também como acessórios comerciais num verossímil interior doméstico do pós-guerra.”  O texto também reafirma essa ideia, no qual mostra essas transformações desde o dadaísmo e o surrealismo até a arte que encantou o mundo recém-industrializado, fazendo críticas ao mesmo.

 Um nome fortíssimo desse movimento é o de Andy Warhol.

                                                              “Eu sou uma pessoa profundamente superficial” -Andy Warhol

Warhol utilizava-se dos conceitos da puplicidade em suas obras,proveitava-se de cores fortes,brilhantes e tintas acrílicas.

Reecria a pop art,começando a serigrafar o cotidiano e os artigos de consumo.

 A reprodução das latas de sopa Campbell é um exemplo desse trabalho

Além de rostos de figuras conhecidas como Marilyn Monroe, Liz Taylor, Elvis Presley, Che Guevara e símbolos icônicos da história da arte, como Mona Lisa. Estes temas eram reproduzidos serialmente com variações de cores.                          

Além das serigrafias Warhol também se utilizava de outras técnicas, como a colagem e o uso de materiais descartáveis, não usuais em obras de arte.

Para Warho, a fama era com frenquência uma imposição dualista, uma configuração infeliz de acontecimentos que confirmava a fragilidade humana.

Fontes de pesquisa:  Texto base de David McCarthy  ” ARTE POP”

http://www.brasilescola.com/artes/pop-art.htm

E que tal assistir um vídeo do Youtube que também mostra um pouco sobre as obras da Pop arte ?

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: